sábado, 18 de junho de 2011

HOJE DIA DE VACINAÇÃO!!!!

TODAS AS CRIANÇAS ATÉ CINCO ANOS DEVERÃO SER VACINAS! MAS ATENÇÃO PESSOAS QUE ESTÃO EM TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER OU QUEM ACABOU O TRATAMENTO
 RECENTEMENTE, CONVERSEM COM SEU MÉDICO, SOBRE O ASSUNTO. SEGUE UM TRECHO DE UM TRABALHO PUBLICADO NO SITE.

Vacinação
A imunização ativa ou passiva de crianças e adolescentes protege contra várias doenças e é fundamental para um desenvolvimento saudável. A prevenção de doenças desempenha, de fato, um papel importante na obtenção de uma saúde perfeita.
As vacinas são substâncias capazes de estimular o sistema imunológico, a fim de tornar o organismo imune ou mais resistente a alguns agentes patológicos. Seu efeito se faz pela presença de proteínas, toxinas, partes de bactérias ou vírus, ou mesmo vírus e bactérias inteiros, atenuados (sem poder de causar doença) ou mortos, que, ao serem introduzidos no organismo, estimulam a síntese de anticorpos. Além das substâncias imunogênicas, as vacinas podem conter outras, como líquido de suspensão, conservantes, estabilizantes e adjuvantes, com funções de evitar a contaminação, proteger os imunobiológicos de condições adversas (frio, calor, alterações do pH) ou aumentar o estímulo à produção de anticorpos. Relembrar o que é a vacina é importante para que o profissional entenda os motivos de sua contraindicação em casos de pacientes com câncer.
Quando a criança recebe uma vacina, seu organismo começa a desenvolver células B ou T de memória e a produzir imunoglobulinas G ou A (IgG ou IgA) que poderão, mais tarde, agir rapidamente contra micro-organismos, defendendo-a de bactérias e vírus com os quais entrou em contato.
Nem todas as vacinas podem ser dadas a crianças e adolescentes que estão em tratamento do câncer. Algumas só podem ser administradas depois de orientação médica. Outras são totalmente proibidas, já que a criança e o adolescente com câncer têm suas defesas diminuídas (leucopenia) por causa do tratamento oncológico.
Os riscos advindos das vacinas são extremamente graves. Algumas vacinas são feitas a partir de bactérias ou vírus vivos que, mesmo “enfraquecidos”, são uma ameaça para quem está em tratamento.
A equipe da ESF deve acompanhar rigorosamente o calendário de vacinação da criança e do adolescente para orientar a família e, também, programar as vacinas que devem ser tomadas ou evitadas de acordo com o tratamento que será ou está sendo realizado. As crianças e adolescentes com câncer e seus responsáveis devem ser orientados para trazerem sempre sua caderneta de vacinação nas consultas médicas.
Em um período que varia de três meses a um ano depois do término do tratamento do câncer, as crianças e os adolescentes podem tomar as vacinas que antes eram proibidas, após avaliação e liberação médica.
A família deve ser informada também quanto ao contato da criança e adolescente em tratamento com pessoas sadias que receberam imunização. No caso da vacina Sabin, que é a vacina oral contra poliomielite (paralisia infantil), e da vacina contra a varicela (catapora), nem mesmo os irmãos, amigos e adultos que convivem com a criança e o jovem com câncer devem ser vacinados sem avaliação conjunta com oncologista.
Se quem convive com a criança ou o adolescente em tratamento tomar uma dessas vacinas, deverá ficar afastado por no mínimo 30 dias.
FONTE: http://www.inca.gov.br/inca/Arquivos/publicacoes/livro_ronald_internet.pdf

2 comentários:

  1. não confiou na gente né 28 para 30 falta pouquinho,por 2 erramos bjs

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir