sexta-feira, 30 de setembro de 2011

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

TENTANDO VIVER COMO UMA PESSOA "NORMAL".

OLÁ!!!!!
FAZ UM TEMPO QUE NÃO APAREÇO POR AQUI!
ESTOU BEM GRAÇAS A DEUS, SÓ ESSA DOR QUE SINTO EM MEU BRAÇO QUE ME ENCOMADA MUITO, FAÇO FISIO DUAS VEZES AO DIA EM CASA MESMO,
A FISIOTERAPEUTA ME ENSINOU, MAS NINGUÉM MERECE ESSA DOR, NÃO CHEGA SER UMA DOR INSUPORTÁVEL MAS INCOMODA MUITO. HOJE PENSO DUAS VEZES PRA PASSAR UMA CAMISA, AF#$#!!!!!  ISSO PORQUE NEM VOLTEI A TRABALHAR AINDA, NEM SEI COMO VAI SER QUANDO VOLTAR AO TRABALHO, TENHO PENSADO MUITO NISSO ULTIMAMENTE. TODO MUNDO DIZ VIDA "NORMAL" TO TENTANDO NO ENTANTO NUNCA PENSEI QUE FOSSE TÃO DIFÍCIL.  NOS ULTIMOS DIAS "ANDO" MEIO ESTRESSADA FUI AO CARDIOLOGISTA PRA UMA CONSULTA DE ROTINA PEDIU UNS EXAMES E PRA VARIAR VEIO UM EXAME ALTERADO EU NÃO SEI DIREITO MAS É PRA VER SE TEM HIPERTIROIDISMO É T4 E TSH O TAL DO TSH VEIO MUITO BAIXO, NOSSA!!! ATÉ CHOREI!!!! DEVO ESTAR FICANDO MALUCA MESMO!!!!! SEGUNDO O MÉDICO ISSO NÃO QUER DIZER  NADA PODE SER UM HIPERTIROIDISMO COMO PODE NÃO SER NADA , PORQUE A CINCO MESES ATRÁS ESTAVA TUDO BEM VOU REPETIR OS EXAMES E FAZER MAIS ALGUNS COMPLEMENTARES E UMA UTRASSOM TAMBÉM TENHO QUE ESPERAR TRINTA DIAS PRA FAZER TUDO DE NOVO, MAS TENHO FÉ QUE NÃO SERÁ NADA . PORÉM NEM PRECISO DIZER O QUE VEIO A MINHA LINDA CABECINHA NÉ!!!! AI PESSOAS EU NÃO SEI  O QUE FAZER PRA PARAR DE PENSAR QUE QUALQUER ALTERAÇÃO É CÂNCER. AS VEZES PENSO QUE SOU UMA PESSOA MUITO FRACA OU  EU NÃO ESTOU ME ESFORÇANDO O SUFICIENTE SEI LÁ, TANTA COISA PASSA PELA MINHA CABEÇA. ANDO ME LAMENTANDO MUITO ULTIMAMENTE, PENSO QUE MINHAS AMIGAS JÁ NÃO SUPORTAM TANTA QUEIXA. TENHO SENTIDO MUITA FALTA DO MEU PAI, MINHA MÃE "ANDA" MEIO TRISTE TENTO AJUDA-LA MAS TÁ DIFÍCIL PROCUREI AJUDA COM UM PROFISSIONAL PRA VÊ SE ELA MELHORA VAMOS VER. SEI QUE É MUITO PRA CABEÇA DELA MAL SE RECUPEROU DA PERDA DO MEU IRMÃO AI VEIO EU COM ESSE PROBLEMA DEPOIS EM SEGUIDA MEU PAI FALECEU É MUITA COISA MESMO PRA ELA EU ENTENDO. E TENTO AJUDAR NO QUE EU POSSO,MAS AS VEZES PENSO QUE PODERIA FAZER MAIS.
 PEÇO DESCULPA PARA VOCÊS QUE ESTÃO LENDO ISSO MAS EU PRECISO ESCREVER PRA VÊ SE MELHORA.
EM NOME DE JESUS SENHOR PEÇO QUE ME DE DISSERNIMENTO PRA VIVER ESSE PERIODO TUMULTUADO DE MINHA VIDA, NÃO DEIXE QUE EU PERCA A ESPERANÇA EM DIAS MELHORES.
FIQUEM COM DEUS.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

BOM FIM DE SEMANA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



PRIMAVERA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!









Primavera: a estação das flores

O movimento de translação (deslocamento da Terra em torno do Sol), juntamente com a inclinação do eixo terrestre em 23°27’ em relação ao plano orbital, é responsável pela variação de energia solar que atinge a superfície terrestre em uma determinada época do ano. Esse fenômeno é responsável pelas estações do ano: primavera, verão, outono e inverno.

A primavera é a estação do ano que tem início com o fim do inverno. No Hemisfério Sul, a primavera começa no dia 23 de setembro e termina no dia 21 de dezembro; no Hemisfério Norte, essa estação inicia no dia 22 de março e termina em 21 de junho.

A principal característica da primavera é o reflorescimento da flora, sendo considerada a estação mais florida do ano. Esse período é marcado por belas paisagens formadas pela natureza, com uma grande diversidade de flores, tais como orquídeas, jasmim, violeta, hortênsia, crisântemo, entre outras.

A temperatura durante a primavera é bastante agradável. No entanto, é importante ressaltar que essas estações são bem definidas apenas na Zona Temperada do Norte (entre o Círculo Polar Ártico e o Trópico de Câncer) e na Zona Temperada do Sul (entre Círculo Polar Antártico e o Tropico de Capricórnio).

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

terça-feira, 6 de setembro de 2011

UM ANO QUE FIZ A PRIMEIRA QUIMIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A UM ANO ATRÁS ESTAVA COMEÇANDO MINHA LUTA CONTRA O CÂNCER, NESTA DATA INICIEI MINHA PRIMEIRA QUIMIO.
NOSSA!!! COMO FOI DIFÍCIL PRA MIM, MAS  DEUS APRESENTOU EM  MEU CAMINHO PESSOAS MARAVILHOSAS COMO A DR° ANDREA, E TODAS AS PESSOAS QUE ME ATENDERAM NESSE DIA O ENFERMEIRO QUE CONVERSOU MUITO COMIGO PALAVRAS DE CONFORTO DE ESPERANÇA,  EU QUE NÃO ACREDITAVA NO TRATAMENTO ESTAVA MEIO QUE SURTADA SEI LÁ. NO ENTANTO FORAM  TANTAS PESSOAS SÁBIAS QUE ENCONTREI NAQUELE DIA QUE  ME FIZERAM ENTENDER QUE ERA SIM UM TRATAMENTO DIFÍCIL, PORÉM COM GRANDE  POSSIBILIDADE  DE DAR TUDO CERTO.
NÃO FOI FÁCIL EU ENTENDER ISSO, PENSEI TANTAS COISAS EM RELAÇÃO A QUIMIO TINHA UM MEDO DO  TRATAMENTO ACREDITO QUE NUNCA TIVE TANTO MEDO NA MINHA VIDA.
MAS COM A GRAÇA DE DEUS TUDO CORREU BEM!!!!! E HOJE ESTOU AQUI, PASSOU A QUIMIO, CIRURGIA, RADIO, E FICOU TUDO NO  PASSADO!!!!!! VIDA NOVA!!!!!!!!
AMIGAS DO BLOG AGRADEÇO IMENSAMENTE A VOCÊS, PORQUE QUANTAS VEZES VIM AQUI DESPEJEI LITERALMENTE MINHAS ANGUSTIAS , DESESPERO, RAIVA, REVOLTA MUITO OBRIGADA PELO CARINHO, AGRDEÇO MINHA FAMÍLIA, MEU FILHO MEUS IRMÃOS  PELA PACIÊNCIA MINHA TIA IVA, TIA ELZA PELO APOIO QUE NOS FOI OFERECIDO EM UM MOMENTO DIFÍCIL PRA MIM E PRINCIPALMENTE PARA MEUS PAIS. O TIO "TOTE" EU SEI QUE ELE SE ESFORÇOU PRA PASSAR QUARENTA DIAS AQUI COM A "GENTE" MUITO OBRIGADA TIO!!!! A MINHA PRIMA CIDINHA MEU PRIMO CARLOS QUE ESTAVAM TODA SEMANA AQUI EM CASA OBRIGADA!!!! E A TODOS MEUS TIOS (AS) E PRIMOS(AS) QUE MESMO DE LONGE ESTAVAM SEMPRE LIGANDO DEIXANDO RECADINHOS E MEU PRIMO ELIZEU E SUA ESPOSA QUE VIERAM AQUI ME VISITAR OBRIGADA FAMÍLIA MUITO OBRIGADA!!! OBRIGADA MEU DEUS POR ESSA FAMÍLIA MARAVILHOSA!!!!!!! A TODAS MINHAS AMIGAS, E PRINCIPALMENTE A DRI E A FRAN QUE FIZERAM DE TUDO E MAIS UM POUCO PRAMIM NÃO SEI COMO AGRADECE-LAS SEREI GRATA POR TODA VIDA. A LARISSA QUE VEIO EM CASA E SEMPRE SE COLOCOU A DISPOSIÇÃO A  CLAUDIA QUE ME ACOMPANHOU TAMBÉM E ME SUPORTOU, A RENATA QUANTA VEZES EM RE TE "PERTUBEI" COM MEUS LAMENTOS E VOCÊ FIRME E FORTE ME AJUDANDO COM SUA SABEDORIA , A ELIANE QUE ME AJUDOU  MUITO, PORQUE SE NÃO FOSSE POR VOCÊ LI TERIA DESISTIDO DA PÓS E AO SEUS PAIS PELAS ORAÇÕES ÁGUA BENTA. APARECIDA QUE VEIO ME VISITAR E ME LIGA COM FREQUÊNCIA E  TAMBÉM TEVE QUE SUPORTAR MEUS LAMENTOS, A DONA CIDA, VALÉRIA UMA GRAÇA SEMPRE ME LIGAVA COM PALAVRAS DE CARINHO CONFORTO ESPERANÇA SEMPRE TENTANDO AJUDAR DE ALGUMA MANEIRA. A NILDA, AS MENINAS DO SALÃO DA CLAUDIA SEMPRE ME TRATANDO COM MUITO CARINHO A SUELI ESSA TAMBÉM ME SUPORTOU "HEIM", NOSSA!!! SU OBRIGADA AMIGA!!!! A NILMA ,  ADRIANA BRIGADINHA DRI POR LIGAR E A TODAS AS MENINAS DO BOLDRINI A MAUREM QUE VEIO FAZER UMA VISITINHA, AS MENINAS DA ESCOLA PELOS RECADOS NO ORKUT E A TODAS AS PESSOAS QUE MESMO NÃO SENDO TÃO PRESENTE EM MINHA VIDA REZARAM POR MIM  MUITO OBRIGADA À TODOS VOCÊS. MUITO OBRIGADA AS PESSOAS QUE EU NÃO CONHEÇO QUE  REZARAM POR MIM, OBRIGADA AS MÃES DOS MEUS ALUNOS QUE REZARAM POR MIM MUITO OBRIGADA.
FICO IMENSAMENTE GRATA A TODOS VOCÊS, QUE DEUS ABENÇÕES A CADA UM, FIQUEM COM DEUS.
E UM BRINDE A VIDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

UM FORTE ABRAÇO À TODOS!!!!!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Tanto o edema como o linfedema podem ocorrer após a operação. O edema (inchaço) certamente aparecerá na mama, no tórax e no braço do lado operado e é absolutamente normal, principalmente se pensarmos no trauma causado pela cirurgia. Este edema deverá regredir em poucos dias com a elevação do braço e a realização de exercícios orientados pelo médico e sua equipe.

O linfedema, no entanto, é uma situação anormal e pode surgir em qualquer época após a operação. O ideal é que seja evitado, pois pode tornar-se uma doença crônica, com necessidade de tratamento e manutenção constantes.

Em outras palavras, podemos dizer que o edema é um inchaço que se resolverá em poucos dias e o linfedema é uma falência do sistema linfático em determinada região, ou seja, o sistema não consegue mais cumprir uma de suas principais funções que é a reabsorção de proteínas plasmáticas na linfa.

É importante salientar que nem todas pacientes apresentam linfedema após a mastectomia. Se ele aparece, geralmente é devido a uma lesão de pele como erisipela ou linfangite. Estas lesões geralmente aparecem muito tempo depois da operação e geralmente coincidem com o abandono dos cuidados com a pele do braço e da mama orientados na época da operação.

Tratamento do Linfedema

Normalmente, as pacientes que desenvolvem linfedema acabam se sentindo perdidas em relação ao tratamento. O médico orientará fisioterapia para drenagem linfática e a paciente não encontrará dificuldades em encontrar anúncios pelas ruas anunciando drenagem linfática. É grande a oferta deste tipo de tratamento pela cidade, a cada esquina vê-se uma faixa anunciando este tipo de massagem. Porém, comumente o tempo passa e os resultados nunca chegam... Resultado: a paciente desiste.
O tratamento do linfedema não é simplesmente a “Drenagem Linfática Manual” e, muito menos, a massagem utilizada para estética.

A Sociedade Brasileira de Flebologia e Linfologia estuda a possibilidade de alterar a denominação do tratamento fisioterapêutico do Linfedema para evitar a confusão tanto dos pacientes como dos médicos no momento da prescrição.

Para o tratamento correto do Linfedema, o profissional indicado é o Fisioterapeuta especializado nesta área, pois são necessários conhecimentos aprofundados da anatomia, fisiologia e fisiopatologia linfática, além de vivência e treinamentos específicos.

O paciente deve pedir indicação do profissional especialista e se manter informado sobre os cuidados e tratamentos deste tipo de problema.

Prevenindo e tratando o Linfedema

Dando continuidade ao pós-operatório de câncer de mama, gostaria de convencê-la a cuidar muito bem da sua pele e assim prevenir a instalação do Linfedema.

A pele é o maior órgão do nosso corpo e protege o nosso organismo interno do meio externo. Ela consegue exercer esta função se estiver em condições normais de hidratação e continuidade.

A cirurgia de retirada do câncer de mama tem por objetivo promover o controle local, removendo todas as células malignas presentes junto ao câncer primário, esvaziando inclusive as axilas.

Assim, os linfonodos axilares, sede de maior drenagem da linfa proveniente do braço e mama, são retirados. Apesar de existirem outras sedes menores de drenagem é fácil supor que a drenagem natural estará dificultada. A boa notícia é que geralmente o nosso organismo dá conta do recado e tudo continua em equilíbrio. Porém esse equilíbrio pode ser facilmente derrubado, afinal a grande sede não existe mais.
A manutenção deste equilíbrio estará em suas mãos, mais especificamente nos cuidados com a pele que devem ser mais intensos e para sempre. Qualquer pequeno ferimento, mesmo de manicure deverá ser evitado e a manutenção da hidratação adequada, através do uso de cremes com pH neutro evitarão que a pele se rompa com facilidade, facilitando a entrada de microorganismos indesejáveis que podem causar linfangites ou erisipelas desencadeando o Linfedema.

Lembre-se que o Linfedema não tem cura, apenas tratamento e manutenção contínua.
O quadro abaixo resume os cuidados que você deve ter daqui para sempre.
Imprima ou copie e deixe sempre a vista até que se torne hábito.

Cuidados com a pele:

• Qualquer lesão acidental deve ser imediatamente lavada com água e sabão;
• Abandone o hábito de tirar as cutículas, apenas empurre-as;
• Evite desodorante com álcool e àqueles com ação antitranspirante;
• Utilize água morna e sabonete neutro no banho;
• A depilação da axila do lado operado deve ser realizada com aparelhos que cortem os pelos e não puxem. Você pode também cortá-los com uma pequena tesoura.
• Evite aplicação de vacinas ou injeções, coleta de sangue, acupuntura, medição de pressão e até mesmo a quimioterapia no braço do lado operado.
• Hidrate o braço e o local cirúrgico (após completa cicatrização) sempre que necessário, mas pelo menos após o banho.

Vera Lúcia Miranda
Fisioterapeuta e Fisiologista do Exercício, Especialista em Linfedema, Membro da Sociedade Brasileira de Flebologia e Linfologia. http://www.oncoguia.com.br/site/interna.php?cat=46&id=199&menu=4

sábado, 3 de setembro de 2011

BOM FIM DE SEMANA!!!!!!!!!!!!!!!!

OLÁ MENINAS!!!!
ESTOU BEM GRAÇAS A  DEUS!
PASSANDO PARA DESEJAR BOM FIM DE SEMANA!!!!!!
FIQUEM COM DEUS.
BJS.

Câncer de Ovário - Presentation Transcript

  1. Câncer de Ováriowww.oncoguia.org.br
  2. Qual a situação do câncer de ovário no Brasil? De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, no ano de 2008 foram diagnosticados 5530 casos em nosso país. Isto faz com que seja um tipo de câncer relativamente raro, menos frequente que o câncer de mama, colo de útero, intestino, pulmão e estômago. Em termos de mortalidade, tivemos aproximadamente 3.000 óbitos pela doença. O Ministério da Saúde não apresenta estimativas para a incidência deste tipo de tumor, na sua tabela mais recente de estimativa, de modo que o melhor dado de que dispomos é este.www.oncoguia.org.br
  3. O que é câncer de ovário? O câncer de ovário é o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado. Cerca de 3/4 dos tumores malignos de ovário apresentam-se em estágio avançado no momento do diagnóstico inicial, pelo fato de frequentemente não apresentarem sintomas. Os tratamentos para câncer de ovário têm se tornado mais eficazes nos últimos anos, com melhores resultados quando a doença é diagnosticada precocemente.www.oncoguia.org.br
  4. Como se manifesta o câncer de ovário? Não há sintomas exclusivos do câncer de ovário, e não é raro que só apareçam sintomas nos casos mais avançados. Os sintomas abaixo devem ser considerados um alerta, mas apenas raramente serão de fato causados pelo câncer. Entre os possíveis sintomas, citamos: sensação de pressão, inchaço ou distensão do abdome; dor ou desconforto na região pélvica; indigestão persistente; mudança no hábito intestinal; perda de apetite, perda de peso, dor na região lombar.www.oncoguia.org.br
  5. Fator de Risco: Idade O maior fator de risco para câncer de ovário é a idade. A doença é mais provável de aparecer depois que a mulher entra na menopausa. Lamentavelmente não há nada que possa ser feito a respeito deste fator como medida preventiva. Por outro lado, não há documentação nenhuma de que tentar fazer rastreamento do câncer de ovário nesta população, traga qualquer benefício.www.oncoguia.org.br
  6. Fator de risco: História familiar A probabilidade de uma mulher desenvolver câncer de ovário é maior se um parente próximo teve câncer de ovário, de mama ou de intestino. Acredita-se que as mudanças genéticas herdadas são responsáveis por 10% dos cânceres de ovário. Isso inclui as mutações dos genes BRCA1 e BRCA2, que estão ligadas ao câncer de mama, entre outros mais raros. Mulheres com histórico familiar devem realizar acompanhamento médico como medida preventiva.www.oncoguia.org.br
  7. Fator de Risco: Obesidade Mulheres obesas têm um risco maior de desenvolver câncer de ovário comparado com mulheres não obesas. As taxas de mortalidade por câncer de ovário são mais elevadas em mulheres obesas.www.oncoguia.org.br
  8. Fator de Risco: Reposição hormonal Terapia de reposição hormonal (TRH) para tratar sintomas de menopausa aumenta o risco de câncer de ovário. Evitar uso de reposição hormonal é uma medida preventiva importante não só para o câncer de ovário, mas também para o câncer de mama.www.oncoguia.org.br
  9. Como é feito o diagnóstico? Primeiramente é necessário um exame pélvico feito por profissional capacitado. Realização de ultrassom (transvaginal ou não), que pode mostrar achados suspeitos (nódulos ovarianos, massa pélvica ou outros). Achados no exame físico e no ultrassom somente servem para levantar a suspeita, mas o diagnóstico de câncer exige uma biópsia do tecido suspeito. Em vigência de achados suspeitos radiologicamente, a dosagem de uma proteína no sangue, denominada de CA125, quando elevada, ajuda a sugerir que possa de fato se tratar de um câncer, mas ainda assim a biópsia é necessária. Não se recomenda o rastreamento com dosagem de CA125 exceto em populações selecionadas.www.oncoguia.org.br
  10. Todo câncer de ovário é igual? Existem diversos tipos de câncer de ovário, com origem em células diferentes deste órgão: a maioria são cânceres com origem chamada de epitelial (na membrana que cobre os ovários); pequena porcentagem tem origem nas células chamadas de germinativas (que dão origem ao embrião, quando fecundadas); outros casos, denominados de tumores estromais, têm origem nas células produtoras de hormônios dos ovários.www.oncoguia.org.br
  11. Estágios do câncer de ovário O tratamento depende do que se denomina de estadiamento, isto é, a extensão da doença. Com base em tomografias, ressonância magnética e/ou PET-CT, classifica-se o chamado estadiamento clínico. Estadio I: Confinado a um ou ambos os ovários. Estadio II: Invadindo útero ou outros órgãos próximos. Estadio III: Invadindo nódulos linfáticos ou revestimento abdominal. Estadio IV: Espalhado para órgãos distantes, como os pulmões ou fígado, situação considerada incurável.www.oncoguia.org.br
  12. Tratamento do câncer de ovário Cirurgia Para tumores curáveis, isto é, potencialmente ressecáveis “por completo” o tratamento necessariamente passa a ser o cirúrgico. Esta cirurgia implica na retirada de ambos os ovários, trompas, útero, linfonodos próximos assim como parte de uma membrana denominada de omento. O tratamento cirúrgico visa ressecar o máximo possível de doença, e deve ser realizado somente por um cirurgião com experiência no tratamento cirúrgico do câncer. Provavelmente,o maior determinante do sucesso do tratamento seja justamente a qualidade desta cirurgia. Raros casos, diagnosticados ainda em estágio muito inicial (estadio I), podem ter uma cirurgia menos agressiva, com intuito de preservar a fertilidade ao preservar útero, ovário e tuba do lado sadio. Isto é reservado para casos muito selecionados.www.oncoguia.org.br
  13. Tratamento do câncer de ovário Quimioterapia Grande parte das pacientes operadas ainda tem, estatisticamente, células malignas que permanecem na cavidade abdominal por não serem visíveis a olho nu pelo cirurgião. Para evitar que estas células se multipliquem causando a recidiva da doença, lançamos mão muitas vezes de quimioterapia denominada de adjuvante. Esta quimioterapia é, na maior parte das vezes, administrada na veia das pacientes, a cada 3-4 semanas. Em casos selecionados, em centros com experiência, também pode-se lançar mão da quimioterapia denominada de intra- peritoneal.www.oncoguia.org.br
  14. Tratamento do câncer de ovário Terapia alvo Mais recentemente vêm ocorrendo pesquisas, algumas até com resultados bastante promissores, utilizando terapias sistêmicas que não são quimioterápicos propriamente ditos. Assim, medicações que impedem o crescimento de vasos que nutririam o tumor (denominados de inibidores de VEGF), assim como medicações que alvejam células com determinadas mutações (chamados inibidores da PARP, ainda em pesquisas preliminares), fazem antever um avanço no tratamento complementar à cirurgia em futuro próximo.www.oncoguia.org.br
  15. Para as pacientes com doença metastática quais são as opções? Embora existam diversos tipos de quimioterápicos com algum grau de eficácia contra o câncer de ovário, quando a doença progride em vigência de uma medicação, a medicação seguinte geralmente tem uma chance menor de promover respostas (diminuir a doença). O oncologista lançará mão sequencialmente de diversas drogas (há mais de 5 quimioterápicos diferentes com algum grau de eficácia). Em algumas situações, é possível dar "férias" de tratamento por alguns meses, retomando o tratamento a seguir. Além disso, há a possibilidade de se participar de uma pesquisa com medicações inovadoras, para avaliar a sua eficácia. Em algumas situações se lança mão de radioterapia paliativa.www.oncoguia.org.br
  16. Após o tratamento Quando são removidos os ovários não é mais produzido estrogênio. Isso desencadeia a menopausa não importando a idade paciente. A queda nos níveis hormonais também pode aumentar o risco de outras doenças incluindo a osteoporose. Por isso é vital que todas as mulheres tenham acompanhamento adequado após o tratamento de câncer de ovário.www.oncoguia.org.br
  17. Depois do Tratamento: Mexa-se Algumas mulheres demoram muito tempo para recuperar a sua energia uma vez terminado o tratamento contra o câncer. A fadiga pode tornar-se um problema e por isso iniciar um programa de exercícios leves é uma das formas mais eficazes para restabelecer a energia e melhorar o bem-estar físico e emocional. Consulte seu médico sobre quais atividades você pode realizar e inicie seus exercícios sempre sob orientação de um profissional.www.oncoguia.org.br
  18. Atenção Mulheres: Saibam como diminuir o seu risco com relação ao câncer de ováriowww.oncoguia.org.br
  19. Diminui o Risco: Gravidez: As mulheres que têm filhos são menos propensas a ter câncer comparadas com mulheres que nunca deram à luz. O risco parece diminuir com cada gravidez e a amamentação pode oferecer proteção adicional.www.oncoguia.org.br
  20. Diminui o risco: Pílula: Faz com que a mulher seja menos exposta a altos níveis de estrogênio, por tanto o câncer de ovário é menos comum em mulheres que tomaram pílulas anticoncepcionais. As mulheres que usaram pílula por pelo menos cinco anos têm risco menor comparado com mulheres que nunca tomaram a pílula. Isto não quer dizer que a pílula deva ser tomada como medida preventiva, já que está associada com outros efeitos colaterais.www.oncoguia.org.br
  21. Diminui o risco: Ligadura de trompas e histerectomia (cirurgia que retira parte do útero ou todo ele) sem ooforectomia (cirurgia que retira os ovários) parece diminuir modestamente a chance de uma mulher desenvolver câncer de ovário.www.oncoguia.org.br
  22. Diminui o risco : Ressecção dos ovários: O oforectomia para prevenir o aparecimento de câncer de ovário só se justifica em mulheres de famílias que sabidamente tem síndromes de câncer de ovário hereditário.www.oncoguia.org.br
  23. Diminui o risco : Dieta : Manter-se dentro da faixa de peso ideal principalmente após a menopausa comer uma dieta pobre em gordura e rica em alimentos de origem vegetal diminui as possibilidades de desenvolver câncer de ovário.
  24. http://www.oncoguia.org.br/
video