sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013



Origem do Rei Momo


REI MOMO - O dono do carnaval


A mitologia grega trata Momo, filho do Sono e da Noite, como o deus da zombaria, do sarcasmo, da galhofa, do delírio, da irreverência e do achincalhe. Diante do seu costume de criticar e ridicularizar os outros deuses, a divindade maior do Olimpo perdeu a paciência com ele e o despachou para a Terra, onde o divino deportado passou a ser representado por um jovem tirando a máscara e mostrando o rosto zombeteiro, ao mesmo tempo em que sacudia guizos e apresentava o estandarte da folia que era a razão da sua existência. A coroação de um rei Momo na Terra vem de longa data, pois houve tempo em que na Roma antiga, durante a realização de determinadas festas, o soldado escolhido como o mais belo de todos era quem recebia a coroa de monarca brincalhão, o que lhe dava o direito de comer, beber e brincar até esgotar totalmente suas forças, sem que ninguém o impedisse de fazer coisa alguma. Depois de finda a farra, e ao contrário do que acontece hoje em dia, ele era solenemente levado ao altar do deus Saturno e ali sacrificado com todas as honras que merecia. A figura de Momo no carnaval brasileiro surgiu em 1933, no Rio de Janeiro, graças a um cronista esportivo do jornal “A Noite” que apresentou aos carnavalescos um boneco feito em papelão e sugeriu sua indicação como comandante da folia. Esse boneco desfilou no centro da cidade, sendo depois colocado em seu trono para presidir de forma simbólica as comemorações daquele ano. Mas como os proprietários do jornal não se contentaram com o resultado conseguido, foi então iniciada uma campanha para escolher um rei de carne e osso, que acabou sendo o muito gordo Moraes Cardoso, responsável pela seção de turfe da empresa jornalística. Após ser vestido como rei e saudado com um “Vive le Roi” pelos seus colegas de redação, o jornalista desfilou pelas ruas da cidade, onde foi saudado com muita serpentina, confete e lança-perfume. Estava criada, assim, a figura do rei Momo, primeiro e único. Moraes Cardoso reinou absoluto no carnaval carioca até 1948, quando faleceu. Depois, até 1967, seu substituto passou a ser escolhido por entidades carnavalescas e jornalistas, mas em 1968 sua eleição foi oficializada por lei estadual, e em 1988, por lei municipal. O concurso para a escolha do rei Momo, no Rio de Janeiro, tornou-se oficial em 1950, e desde essa época sua realização corresponde a um verdadeiro espetáculo popular.

autor: FERNANDO KITZINGER DANNEMANN

Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2006

http://felipeguerrainfo.blogspot.com.br

Entenda a origem do Carnaval no Brasil e no mundo


A famosa festa, realizada bem antes do nascimento da Igreja Católica, passou por várias transformações e se adaptou à cultura brasileira


Nem só de ziriguidum e telecoteco foi feito o Carnaval durante os séculos de história. A festa mais popular no Brasil, na verdade, teve início há milhares de anos na Antiguidade. Mas se não tinha samba e nem mulatas na avenida, a folia sempre estava presente entre hebreus, romanos e gregos. Eram grandes festejos pagãos, cheios de comida e bebida, para comemorar colheitas e louvar divindades e ocorriam entre novembro e dezembro.

Na Idade Média, a Igreja decidiu incorporar as antigas festividades ao seu calendário. O Carnaval então passou a corresponder aos últimos dias antes das limitações impostas pela Quaresma (os famosos 40 dias sem carne até a Páscoa). Era a última chance de ter o prazer de um suculento bife antes das privações até a Sexta-feira Santa. A festa foi se desenvolvendo e, no século 13, começaram a surgir os bailes de máscara, principalmente na Itália. Eram as primeiras fantasias de Carnaval, totalmente restritas à nobreza.

A partir do século 19, as máscaras e fantasias se popularizaram e fizeram parte das festas por toda a Europa. Os personagens que mais davam o que falar eram o Pierrô, o Arlequim e a Colombina (da commedia dell’arte italiana), presentes ainda hoje na festa popular.

E no Brasil?
O Carnaval foi comemorado por aqui desde a chegada dos portugueses. No século 17, por influência dos nossos conterrâneos, as celebrações resumiam-se ao entrudo. Nesta época, era uma bagunça, feita principalmente por escravos, com direito a guerras de água, farinha e limões de cheiro.

A festa só evoluiu no país no século 19, quando as classes mais ricas daqui, atiçadas pelos europeus, entraram na brincadeira do Carnaval dentro de salões. Mas nada de samba surgir ainda. "Nesta época, cantava-se de tudo no Carnaval. Até Ópera", afirma o historiador André Diniz, autor do livro Almanaque do Carnaval. "A primeira marchinha foi feita em 1899, por Chiquinha Gonzaga, para o cordão carnavalesco Rosa de Ouro: Ó abre alas. Depois da gravação do samba Pelo Telefone, de Donga e Mauro de Almeida, em 1917, este gênero começa a ganhar espaço no carnaval carioca."
A popularização do samba e das marchinhas, através de compositores como Braguinha, Haroldo Lobo e Lamartine Babo, tornaram a festa num sucesso entre a população na década de 1920. É aí que entra um famoso personagem de nossa história: Getúlio Vargas – esse você já conhece de outros Carnavais. O então presidente percebe o apelo do ritmo e decide aproximá-lo ainda mais da população para torná-lo identidade nacional.
"O estado passou a organizar o Carnaval, dando licença para os desfiles e investindo nas escolas de samba. Getúlio pegou a onda da consolidação do samba, aproximando sua política de construção do Estado Nacional das manifestações populares", explica Diniz. Daí para o samba e o Carnaval crescerem, ganharem um sambódromo e se tornarem identidades nacionais foi um pulo (de folia).
(FÁBIO CALVETTI)  http://guiadoestudante.abril.com.br

 


 


 


domingo, 3 de fevereiro de 2013


4 de fevereiro - Dia Mundial do Câncer
 
Dia 04 de fevereiro é considerado o Dia Mundial do Câncer. A data foi instituída há sete anos pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC). O objetivo é fomentar os debates e as reflexões sobre as políticas de combate à doença, que já é a segunda causa de mortes no mundo.Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 12,7 milhões de pessoas são diagnosticadas todo ano com câncer e 7,6 milhões de pessoas morrem vítimas da doença. A expectativa é que, até 2030, sejam 26 milhões de casos novos e 17 milhões de mortes por ano no mundo, sendo que 2/3 das vítimas ocorrerão em países em desenvolvimento.
“A maior parte do número de casos diagnosticados está ligado aos hábitos das pessoas, como, por exemplo, o consumo de cigarro e bebida alcoólica e a má alimentação. Isso é muito preocupante, pois sabemos que 80% dos cânceres têm relação direta com esses hábitos e apenas 20% provocados por outros fatores”, Explica o médico Oncologista do HSM Hospital, Centro Avançado de Oncologia, Sandro Cavalléro.
O Instituto Nacional do Câncer (INCA) prevê que pouco mais de 1 milhão de pessoas receberão, nos próximos dois anos, o diagnóstico da doença. Estima-se que os novos casos devam atingir 50,8% dos homens, sendo o câncer de próstata o mais comum entre eles. Nas mulheres, nas regiões Sul e Sudeste, o câncer de mama está em primeiro lugar, enquanto que nas populações mais carentes o de colo de útero lidera o ranking, como é o caso aqui do Pará.
Belém é a capital do país com maior incidência de câncer de estômago. São 25 casos diagnosticados para cada 100 mil habitantes e 19 casos para cada 100 mil habitantes no caso das mulheres. “Esse números estão diretamente ligados à nossa alimentação. Aqui comemos muitos alimentos salgados e defumados. A maioria é muito gordurosa, calórico e isso é um fator agravante”, ressalta Sandro Cavalléro.
Mas, apesar das estatísticas alarmantes, a boa notícia fica por conta dos tratamentos cada vez mais modernos. A quimioterapia em comprimido é uma delas. “Alguns medicamentos evitam vômito, náuseas, diarréia e isso é um avanço”, diz o oncologista.
Um desses aliados no tratamento do câncer, principalmente na mulher, é a substância doxorrubicina lipossomal peguilada (DLP) para tumores de mama e de ovário, caracterizada por sua eficácia na redução de efeitos colaterais como náuseas, vômitos, fraqueza e queda de cabelo. O fármaco está presente dentro de pequenas partículas – os lipossomos – que, por sua vez, liberam a medicação no local do tumor.
Diante dessa previsão, evitar comportamentos de riscos, e, principalmente, buscar informações médicas sobre os tipos da doença, são, com certeza, armas importantíssimas na luta contra o câncer.
COMO PREVENIR O CÂNCER
• Não fume – o cigarro é responsável por 30 % das mortes de câncer;
• Mantenha uma dieta equilibrada e rica em frutas e verduras, com pouca proteína animal;
• Procure ficar no seu peso ideal, evitando sobrepeso ou obesidade.
• Quadros infecciosos, causados por vírus ou bactérias, estão relacionados com 17% de todos os cânceres;
• É fundamental adotar um comportamento de sexo seguro. Vacinar as adolescentes contra o HPV é uma boa medida preventiva.
Fonte: Saúde em Pauta

sábado, 2 de fevereiro de 2013

OLÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
PASSANDO PRA DAR NOTÍCIAS, ESTOU BEM! NA 2° FASE DA RECONSTRUÇÃO
DA MAMA, JÁ TIREI OS PONTOS ESTOU DE REPOUSO MAS TÁ TUDO ÓTIMO.
MINHA PRÓXIMA CIRURGIA ESTÁ MARCADA PARA ABRIL PRA FAZER A
SIMETRIA, QUE O CONVÊNIO NÃO QUER PAGAR MAS VOU VER ISSO DIREITINHO. DEPOIS VOU FAZER O "BICO" E POR FIM A TATUAGEM. É UM PROCESSO
DEMORADO MAS TENHO QUE TER PACIÊNCIA, ATÉ O MOMENTO ESTOU MUITO
SATISFEITA COM O RESULTADO. E MEU BRAÇO ESTÁ SE COMPORTANDO DIREITINHO, PORQUE ESTAVA UM POUCO RECEOSA QUANTO A ISSO, POR CONTA QUE RETIREI OS LINFINÓDOLOS, FAÇO FISIO COM ORIENTAÇÃO DA FISIOTERAPEUTA E TÁ TUDO CERTINHO.
      NO INÍCIO DE TODA ESSA TRANSFORMAÇÃO QUE MINHA VIDA TEVE, LÁ NO COMEÇO QUANDO RECEBI O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER E TANTA COISA QUE ACONTECEU NO PERCURSO DO TRATAMENTO. TEVE UM ÚNICO MOMENTO QUE PENSEI QUE NÃO IRIA CONSEGUIR FOI QUANDO MEU PAI FALECEU NOSSA NESSE DIA EU QUESTIONEI. MEU DEUS!! TANTA COISA RUIM ACONTECENDO EU NÃO VOU DAR CONTA, NÃO ACREDITAVA QUE PUDESSE ESTAR NESSA FASE QUE ESTOU HOJE, COM A GRAÇA DE DEUS EU CONSEGUI PASSAR POR MOMENTOS DIFÍCEIS  ESTOU CURADA.
      UM ANO E ONZE  MESES QUE TERMINEI A QUIMIO E DOIS ANOS OITO MESES DEPOIS DE RECEBER A NOTÍCIA QUE FOI MUITO DIFÍCIL, PORÉM PASSOU TINHA DIAS QUE ACREDITAVA QUE NÃO IRIA ACABAR. ACREDITE É DIFÍCIL MAS PASSA TEMOS QUE TER FÉ EM PRIMEIRO LUGAR ACREDITAR EM UM DEUS MAIOR QUE ESTÁ SEMPRE AO NOSSO LADO, ACEITAR O TRATAMENTO, QUE EU SEI NÃO É NADA FÁCIL, NO ENTANTO TEMOS QUE LUTAR, ACEITAR A AJUDA DOS FAMILIARES DOS AMIGOS. CLARO TEVE DIAS QUE EU QUIZ "CHUTAR O BALDE" ESSES DIAS EXISTEM E TEMOS QUE NOS PERMITIR TAIS DIAS, TAMBÉM FAZ PARTE, CHORAR,  SE IRRITAR, FICAR TRISTE, PODE OCORRER RARAMENTE.  O QUE TEM QUE PREVALECER É A FÉ EM DEUS E A CERTEZA DA VITÓRIA, ESCREVENDO ASSIM ATÉ PARECE QUE É FÁCIL. FÁCIL NÃO É!!!! E NÃO SE TEM UMA RECEITA DE COMO DEVEMOS NOS COMPORTAR PERANTE UMA SITUAÇÃO ASSIM, SOMOS DIFERENTES CADA PESSOA REAGE DE UM JEITO.  EU SEMPRE ME APEGUEI  COM DEUS.  E GRAÇAS A DEUS HOJE ESTOU AQUI CURADA EM NOME DE JESUS.
       COM A AJUDA DE DEUS EM PRIMEIRO LUGAR DEPOIS DOS  MÉDICOS E TODOS OS PROFISSIONAIS DA SAÚDE MEUS FAMILIARES E AMIGOS.  EM NOME DE JESUS AGRADEÇO A DEUS PELA CURA ALCANÇADA.
      E A TODOS QUE ME AJUDARAM CADA UM DO SEU JEITO NO SEU TEMPO OS QUE PODIAM ESTAR PERTO SEMPRE SE REVEZANDO OS QUE ESTAVAM LONGE SEMPRE LIGANDO PRA PERGUNTAR COMO EU ESTAVA, ENVIANDO UMA MENSAGEM, REZANDO POR MIM. MUITO OBRIGADA POR TUDO. QUE DEUS ILUMINE A TODOS VOCÊS.